Shows: Carmen Queiroz faz Tributo a Mirian Batucada no Sesc Vila Mariana


Sesc Vila Mariana. 19.02.2011 ás 13:30. Entrada Grátis.

Músicos: Zé Barbeiro (Violão), João Poleto (Sopros) e Roberta Valente (Percussão).

Repertório do show:

1 - Na batucada da vida (Ary Barroso)
2 - O que vier eu traço (Alvaiade e Zé Maria)
3 - Teco-teco (Pereira Costa e Milton Villela)
4 - Você É Seu Melhor Amigo (Miriam Batucada)
5 - Chuá, Chuá (Pedro de Sá Pereira e Ari Pavão)
6 - Apanhei um resfriado (Leonel Azevedo e Sá Róris)
7 - Felicidade (Lupicínio Rodrigues)
8 - Meu romance (J. Cascata)
9 - Eu quero é botar meu bloco na rua (Sergio Sampaio)
10 - Acertei no milhar (Wilson Batista e Geraldo Pereira)
11 - Você vai se quiser (Noel Rosa)
12 - O show já terminou (Roberto Carlos e Erasmo Carlos)
13 - Alô Alô – (André Filho)
14 - Adeus Batucada (Sinval Silva)

Minha Semana. Carmen Queiroz e Miriam Batucada em Fevereiro ou seria março?


Já estamos quase no final de fevereiro.

Digo fevereiro e logo associo: mês curto. Só que não esta sendo bem assim, afinal o carnaval está indo encurtar março e eu vou aqui me situando neste diferente longo fevereiro.

Músicas novas aprendidas e começo o mês ensaiando para o show em que estamos homenageando Miriam Batucada.

O primeiro show aconteceu no dia 05/02 e o próximo será neste fim de semana, dia 19/02.

Miriam Batucada merece aqui, de minha parte, uma abordagem especial. Quando faleceu em 1994 eu já estava em São Paulo mas não tive o privilégio de conviver com ela como tiveram meus amigos Ibys Maceió, Roberta Valente, Roberto Lapiccirella, Mário Mammana, Renata Buchiarelli – cito os que me lembro embora deva ter mais gente.

Mas o que quero mesmo deixar registrado é que por esses dias estou respirando repertório, voz e história de Miriam Batucada . Só ainda não consegui aprender a batucar nas mãos ou na caixa de fósforos como ela fazia – e os que sabem da minha pouca aptidão com a percussão entendem bem o que estou dizendo – mas me identifiquei bastante com essa que foi uma cantora paulistana que se meteu a cantar sambas dos bons, tendo que por isso travar uma batalha e tanto para que reconhecessem seu valor artístico. Coisas do meio… quem consegue mudar?

A gente abraçou mesmo a idéia, tanto que no ultimo dia 11/02, lá no Ó do Borogodó, onde me apresento todas as segundas sextas-feiras do mês, prazeirosamente falamos e cantamos Miriam pra moçada jovem que certamente pouco sabem quem foi essa artista, grande figura que partiu tão cedo e tão cedo foi esquecida.

Tenho que dizer que esta homenagem foi uma grande sacada do pessoal do SESC Vila Mariana onde os shows vem acontecendo às 13:30.

É isso, fevereiro mês de batucada…. ou seria março?

Porque em marco vou estar cantando carnaval de marchinhas e sambas carnavalescos no Ó do Borogodó, dias 06 e 07.

Mas sobre isso, conversamos noutra oportunidade.

ESPERO POR VOCÊS LÁ NO SESC VILA MARIANA!

Um pouco sobre Miriam Batucada


Míriam Batucada, nome artístico de Miriam Angela Lavecchia, foi uma cantora brasileira, principalmente de samba.

Em 1967 recebeu o convite para participar do programa do Blota Jr. Sua apresentação durou duas horas e maravilhou todo público e o apresentador, e de quebra, Miriam ainda tocou todos os instrumentos que se encontravam no palco da TV Record naquele dia : piano, bateria, harmônica, violão, cuíca, além de batucar na mesa do apresentador e mostrar também a sua batucada nas mãos. No dia seguinte já era representada pelo famoso empresário Marcos Lázaro, sendo contratada pela TV Record; participou do Programa da Sônia Ribeiro e em seguida ganhou um programa com Ronie Von nas tardes de sábado.

E foi durante sua apresentação num programa de televisão que Cidinha Campos a intitulou de Miriam da Batucada. Como o "da" na época não estava na moda, o extraiu e ficou só com o codinome de Miriam Batucada. Em 1968 gravou o compacto pela Rozemblit "Batucando nas mãos (de Renato Teixeira)/ Plác-tic-plác-plác (de Walter Peteléco)", produzido por Côrte Real. Já apresentava sua famosa batucada nas mãos nessas músicas. Começou, nessa época a ser muito requisitada para espetáculos, e chegou a até fazer apresentações no exterior. Apesar de seu samba ser relativamente tradicional, Miriam era pessoalmente muito criativa e aberta.

Não teve problemas para gravar um um disco relativamente inovador com Raul Seixas, Sérgio Sampaio e Edy Star em 1971, chamado Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10. Em 1973 gravou um compacto pela CBS com produção de Raul Seixas.

Faleceu precocemente, sendo encontrada morta em seu apartamento onde morava só no bairro de Pinheiros, por sua irmã Mirna, que residia em Maringá, 21 dias após ter sofrido um infarto fulminante. Pontos marcantes na personalidade de Miriam eram sua extrema simpatia e simplicidade. Como intérprete, tinha uma noção de ritmo muito boa. Um de seus sucessos era Teco Teco, de Pereira da Costa e Milton Vilella.

Rede de Produtores da Cooperativa de Música


A Rede de Produtores da Cooperativa de Musica é uma iniciativa inovadora, firmada dentro dos princípios dos Arranjos Produtivos Locais e com o intuito de apresentar o casting da Cooperativa - seguramente o maior e mais diversificado portfólio de produtos e serviços musicais do Brasil– para abrir espaço a novos artistas e ampliar a atuação no mercado cultural.

O portfólio da Cooperativa de Música destaca-se pela riqueza e diversidade de mais de 5000 produtos capazes de atender as mais variadas demandas por serviços musicais, sejam de eventos fechados, festas corporativas, shows, oficinas, cursos, trilhas sonoras, jingles, workshops, programações institucionais, etc.

Carmen Queiroz e Miriam Batucada


No inicio de janeiro, fui convidada pela Rede de Produtores da Cooperativa de Musica da qual eu faço parte, para participar de uma homenagem a Miriam Batucada. Assim, como o foco do meu trabalho em 2011 será evidenciar o papel das mulheres na música brasileira, este convite veio em muito boa hora, já que este ano lançaremos o meu quarto Cd, ENQUANTO EU FIZER CANÇÃO em comemoração aos meus 20 anos de carreira, fazendo uma homenagem a todas as cantoras importantes para a minha formação como artista.

Os espetáculos dos dias 05 e 19 de fevereiro, pretendem contextualizar o período, o estilo e o repertório interpretado Miriam Batucada, de modo a ilustrar e difundir sua importância para a formação do samba paulista. No repertório serão apresentadas composições do trabalho “ Amanhã ninguém sabe” gravado por Miriam Batucada em 1974, entre outras composições que marcaram sua carreira. Serão dois shows, o primeiro no dia 05 de fevereiro e outro no dia 19 de fevereiro, todas às 13:30, no SESC Vila Mariana, grátis.

A partir de agora, vou apresentar diariamente a vocês essa grande sambista paulista, publicando alguns áudios do trabalho “Amanhã ninguém sabe”, espero que gostem do material e a gente se encontra no show.

logo

Carmen Queiroz, é cantora de música popular brasileira, paranaense, radicada em São Paulo. Moldada com as influências de grandes intérpretes da MPB e reconhecida como uma das mais belas vozes do cenário musical brasileiro.
Com uma identidade vocal marcada por um timbre ímpar que mescla bom gosto à sofisticação, busca preservar a memória da música popular, mantendo o diálogo entre o tradicional e o contemporâneo.
Ao longo de sua carreira registra cinco trabalhos fonográficos solos (Flor da Paz, Leite Preto, Do meu jeito, Carmen Queiroz canta Cássio Junqueira, Enquanto Eu Fizer Canção) e participações em cds outros. Todos os seus CDs são distribuídos pela Tratore.

carmenqueiroz00@gmail.com






BUSCA



carmen queiroz

RIGNTONES


Baixe para Android

Baixe, coloque o arquivo mp3 na pasta Ringtones.
Vá em "configurações/som/toque chamada do dispositivo".
selecione o MP3 baixado.

Baixe para iPhone

Baixe o arquivo m4r
Dê 2 cliques para abri-lo no iTunes.
Vá em toques e selecione para sincronizar.
Sincronize seu telefone.
Vá em "configurações/toques".
selecione o ringtone baixado.